Memorial faz cinco lançamentos na 22ª Bienal Internacional do Livro

ago 08, 2012 Sem comentários

 

Esta 22ª edição da Bienal Internacional do Livro de São Paulo terá um gostinho ainda mais especial para o Memorial da América Latina, que convida todos a visitarem o estande de publicações da Fundação, na Bienal, de 09 a 19 de agosto, no Parque de Exposições do Anhembi.
“Poética dos Saberes – complexidade, compreensão e cultura”, obra organizada pela jornalista e pesquisadora Cremilda Medina, é o carro-chefe entre as publicações da Coleção Foro Permanente de Reflexão sobre a América Latina. O livro será lançado na sexta-feira, dia 17, às 19h, no Espaço do Professor, após uma palestra de apresentação da organizadora.
Segundo Medina, em Poéticas dos Saberes “os autores representam com rigor e criatividade os temas transdisciplinares da pesquisa, que se interroga quanto a seus limites e horizontes no âmbito das disciplinas acadêmicas, e ao mesmo tempo questiona os principais dilemas da ciência enraizada na América Latina”.
No estande do Memorial, além do n° 46 da Revista Nossa América, serão lançados mais quatro obras, duas delas também organizadas por Cremilda Medina: “Fronteiras Latino-americanas – geopolítica do século XXI” e “Símbolos itinerantes, estampas mestiças – o caminho da chita da Índia para a América”. Os outros dois lançamentos são: “China e América Latina – a geopolítica da multipolaridade”, obra de Luis Antonio Paulino e Marcos Cordeiro Pires e “Territorialidades, conflitos e desafios à soberania estatal na América Latina”, organizada por Luis Fernando Ayerbe.

Foro Permanente de Reflexão sobre a América Latina
O Foro Permanente de Reflexão sobre a América Latina é um projeto da Cátedra UNESCO Memorial da América Latina, que será coordenado por Cremilda Medina e Renato Seixas. O objetivo é tornar acessível ao público em geral as informações e reflexões presentes em teses, dissertações e pesquisas produzidas nas universidades brasileiras que tenham como foco temas relacionados com a América Latina, divulgando, dessa forma, conteúdos científicos que apresentem significativas contribuições sócio econômicas, culturais e artísticas para os países latino-americanos e oferecendo, concomitantemente, oportunidades de debate sobre esses trabalhos.

Livros
“Poética dos Saberes – complexidade, compreensão e cultura”
As teses de doutorado contidas nesta obra propõem complexidade, compreensão e cultura como norte para as narrativas contemporâneas, que em certos casos têm se mostrado reducionistas. Reúne-se neste livro ideias e teorias da jornalista e pesquisadora Cremilda Medina, sobre os desafios das narrativas na contemporaneidade, e de três pesquisadores da Universidade de São Paulo (USP): Patrícia Patrício, Jornalista, que defende a “transubjetividade” como método de leitura e de interpretação; Dimas A. Künsch, filosofo e doutor em Comunicação Social, defendendo “prática compreensiva” como base do diálogo social; Renato Seixas, egresso do Direito para as Teorias Culturais, que tratará da globalização e do multiculturalismo latino-americano, e da relação entre identidades culturais e os direitos do consumidor na América Latina.

“Fronteiras Latino-americanas – geopolítica do século XXI”
O mundo contemporâneo e suas complexidades, tomando como ponto de partida a desterritorialidade e a reterritorialidade, são temas abordados nesta obra. De todos os pontos em que se analise o complexo tema, vamos nos deparar com o envolvimento no que diz respeito à política de vários países e procedimentos. Os especialistas convidados interpretaram o tema a partir de olhares múltiplos que ampliam as discussões e possibilitam uma compreensão diferenciada do processo histórico sobre as problemáticas governamentais emergentes.  

“Símbolos itinerantes, estampas mestiças – o caminho da chita da Índia para a América”
O livro revela uma curiosa descoberta, a da chita, tipo de tecido de algodão com flores graúdas e coloridas. A pesquisadora Carol Garcia nos leva a cenários díspares que envolvem do cotidiano de princesas indianas às feiras populares mexicanas ou aos ambientes seculares do Brasil profundo. Na fruição de seus textos de Amálio Pinheiro e José Lezama Lima se estampa, como os florais e cores da chita, a criatividade do Continente, a força de identidades mestiças, a viagem itinerante da produção simbólica. Por fim, Norval Baitello Júnior lembra que, por mais que estejamos cercados de recursos e aparatos técnicos, necessitamos da presença física do Outro.

“China e América Latina – a geopolítica da multipolaridade”
Esta obra busca apresentar a síntese do debate, que contou com a participação de importantes intelectuais que vem refletindo sobre as características de uma nova ordem internacional que requer maior envolvimento dos principais países da América Latina e do gigante asiático. Assim sendo, o livro está dividido em três partes. A primeira trata dos papéis da América Latina e da China na construção de uma ordem internacional multipolar. Em seguida, discutem-se as relações comerciais entre América Latina e China. Na última, busca-se compreender as especificidades históricas nos processos de desenvolvimento entre Brasil e China.

“Territorialidades, conflitos e desafios à soberania estatal na América Latina”
Luis Fernando Ayerbe aborda neste livro a atuação dos Estados Unidos, no caso da América Latina, face a grupos insurgentes e ao crime organizado nas áreas cujo controle estatal é visto como deficiente. Mesmo tema tratado por Alberto Montoya Palácios Jr. e Laura González, com destaque para o caso específico da fronteira Equador-Colômbia. Marcos Ferreira faz um retrospecto do terrorismo e concentra-se na questão do Hezbollah, na fronteira entre Argentina, Brasil e Paraguai, enquanto Edson Capoano reflete sobre a formação da identidade individual e da integração cultural na América Latina por meio de mitos compartilhados por jornalistas.

 

Serviço
22ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo
De 09 a 19 de agosto, das 10h às 22h
Local: Pavilhão de Exposições do Anhembi
Estande: R.54

Arquivo Notícias
Sem respostas para “Memorial faz cinco lançamentos na 22ª Bienal Internacional do Livro”

Responda