Memorial recebe os campeões do mundo e os vices de 1962

jun 19, 2012 1 comentário

O exato instante em que Pelé sente a virilha

Corria o segundo jogo do Brasil na Copa do Mundo do Chile, em 1962. O primeiro tinha sido contra o México, vitória fácil, com direito a um daqueles gols de Pelé em que ele dribla meio time adversário. Agora era a vez de enfrentar a Tchecoslováquia, que se revelaria a surpresa do Mundial. Lá pelas tantas, em uma jogada furtuita, o melhor jogador do mundo sente a perna e começa a mancar – distensão no músculo da virilha. Naquele tempo a regra impedia substituição. Pelé teve que permanecer em campo só para fazer número.

Foi então que aconteceu um episódio de delicadeza ímpar. É o embaixador Carlos Henrique Cardim, assessor internacional do Ministério do Esporte quem conta: “Sem condições nenhuma de atuar, reduzido a uma presa frágil, Pelé recebe a bola. A cerca-lo ninguém menos do que o craque do time tcheco, Josef Masopust, considerado o melhor jogador da Europa naquele ano. Por respeito ao brasileiro, ele não dá o bote. Mas espera Pelé passar a bola para o seu companheiro”. Segundo o poeta Tiago de Mello, esse foi o maior ato de solidariedade humana. O jogo terminou zero a zero. Os dois times se reencontrariam na final e o Brasil ganharia por três a um, sagrando-se um legítimo bicampeão.

O craque Masopust

Essa e outras histórias certamente serão lembradas pelos seis jogadores tchecos, incluindo Masopust, que virão ao Memorial nesta segunda, 25 de junho, as 10 h. Eles farão parte da inauguração das atividades comemorativas do cinquentenário da conquista da Copa do Mundo de 1962. Os detalhes dessa comemoração foram acertados hoje em visita ao Memorial do embaixador Cardim, acompanhado de Luis Paulino, Secretário Nacional do Futebol e da Defesa dos Direitos do Torcedor, e de Paulo Castilho, diretor do Departamento de Defesa dos Direitos do Torcedor (na foto abaixo, acompanhados pelo presidente do Memorial, Adolpho Melfi, de blusa branca, e pelo gerente de planejamento do CBEAL, Eduardo Farsetti, de paletó bege).

O Auditório Simón Bolívar receberá a celebração oficial, com a entrega de uma medalha de honra ao mérito “Heróis de 62” aos jogadores brasileiros e à comissão técnica, lançamento do selo comemorativo e de encarte sobre a campanha da seleção brasileira no mundial em português, inglês, espanhol e tcheco. Além dos veteranos tchecos, estarão presentes os campeões brasileiros remancentes, jornalistas da área esportiva da República Tcheca e dirigentes esportivos do Brasil e do Chile. A festa será presidida pelo Ministro Aldo Rebelo.

Já no Salão de Atos Tiradentes será montada uma exposição de fotos da jornada do bicampeonato, na qual brilharam jogadores como Garrincha, Vavá, Amarildo, Djalma Santos, Nilton Santos, Zagallo, Didi e Vavá. O acervo de peças alusivas à conquista do bicampeonato vem da Confederação Brasileira de Futebol e da Associação dos Campeões Mundiais.

Mais informações veja a matéria no site do Ministério do Esporte.

Por Eduardo Rascov

Arquivo Notícias

Uma resposta to “Memorial recebe os campeões do mundo e os vices de 1962”

  1. Andréa says:

    Maravilhosa iniciativa

Responda